SOS CANGUARETAMA

SOS CANGUARETAMA

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Vendas de ingressos para Brasil x Bolívia, em Natal, começam na quinta


Preços serão de R$ 75 (meia) para os setores Norte e Sul a R$ 400 (para camarotes). Partida será no dia 6 de outubro, às 21h45, na Arena das Dunas, pela 9ª rodada

A Confederação Brasileira de Futebol divulgou os preços dos ingressos para o jogo da seleção brasileira em Natal, no dia 6 de outubro, contra a Bolívia, às 21h45. A partida é valida pela nona rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo Rússia 2018. As vendas começam nesta quinta-feira, às 10h, exclusivamente pelo site da CBF. Nos pontos fixos, a comercialização será iniciada a partir do dia 29 de setembro, em três locais: na bilheteria da Arena das Dunas, na loja Sport Master do Shopping Midway Mall e do Natal Shopping.
Confira os preços dos ingressos:
Arquibancada Inferior (Norte ou Sul)
R$ 150 (inteira)
R$ 75 (meia)
Arquibancada Superior (Leste ou Oeste)
R$ 170 (inteira)
R$ 85 (meia)
Arquibancada Inferior (Leste ou Oeste)
R$ 220 (inteira)
R$ 110 (meia)
Setor Premium (área exclusiva no setor inferior Leste, com serviços de alimentos e bebidas incluídos)
R$ 300 (apenas inteira disponível)
Setor VIP (área exclusiva no setor inferior Oeste, com serviços de alimentos e bebidas incluídos)
R$ 350 (apenas inteira disponível)
Camarotes de 18 a 30 lugares (setor inferior Oeste ou mezanino Oeste, com serviços de alimentos e bebidas incluídos)
R$ 400 por assento* (apenas inteira disponível)
* Venda apenas em lote fechado.
Camarote Villa Mix
R$ 350 (apenas inteira disponível)
Serviços: Camisa exclusiva do camarote; espaço exclusivo com lounge; entrada exclusiva; serviço incluso de bebidas (open bar de whisky, vodka, cerveja e refrigerante); DJ e shows da Banda Eva e da dupla Pedro & Benício.
* Formas de pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito (1x)
Fonte: http://g1.globo.com/

Por falta de pagamento de precatórios, TJ bloqueia verba de 3 cidades do RN


Ao todo, R$ 329.250 foram bloqueados da conta dos municípios.
Japi, São José de Mipibu e São Bento do Norte tiveram verbas bloqueadas.

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) determinou o bloqueio de verbas de três municípios potiguares por falta de pagamento de precatórios. De acordo com as informações do tribunal, um valor de R$  329.250,56 foi bloqueado nas contas de Japi, São Bento do Norte e São José de Mipibu.
O sequestro dos bens de São José de Mipibu, na Grande Natal, foram autorizados nesta quarta-feira (21), pelo presidente do TJ, o desembargador Claudio Santos. Foram bloqueados das contas do município R$ 119.424,40.
As autorizações para o bloqueio das contas de Japi e São Bento do Norte foram autorizadas ainda na terça (20). De Japi, R$ 102.630,96 foram bloqueados, enquanto R$ 107.195,20 foram sequestrados de São Bento do Norte.
Os bloqueios de verba determinados pelo TJ foram autorizados a partir de procedimentos da divisão de precatórios do tribunal. De acordo com a divisão, o sequestro de verbas são permitidos pela Constituição Federal em caso de não pagamento dos precatórios. O Ministério Público também opinou pelo bloqueio dos valores.

MPRN denuncia prefeito de Serrinha por fraude em licitações


Fabiano Teixeira foi preso em 13 de setembro na operação 'Mal Secreto'.
Prefeito teria fraudado processos de licitação para desviar dinheiro.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) apresentou duas denúncias contra o prefeito de Serrinha, Fabiano Henrique de Sousa Teixeira. Preso em 13 de setembro durante a operação 'Mal Secreto', Teixeira está sendo acusado por fraudar processos de licitação para desviar dinheiro. As denúncias foram protocoladas no Tribunal de Justiça do estado nesta quarta-feira (21).
De acordo com o MP, a operação Mal Secreto desarticulou um "esquema de desvio e subtração de recursos públicos instalado na Prefeitura de Serrinha". Durante a operação, foram expedidos mandados de prisão contra o prefeito e mais 4 pessoas.
Na primeira denúncia, o MP acusa o prefeito pelos crimes de organização criminosa, peculato, falsificação de documento público e lavagem de dinheiro. De acordo com as investigações, Teixeira teve ajuda de servidores públicos para falsificar 24 procedimentos licitatórios, simulando a contratação de três empresas que supostamente deveriam fornecer material hospitalar e odontológico ao município.
Além disso, o prefeito teria movimentado R$ 90.394,00 em cheques que deveriam ter sido pagos às empresas contratadas nas licitações. No entanto, ainda de acordo com o MP, 47 cheques da prefeitura que deveriam ter sido pagos as empresas foram pagos a terceiros, inclusive familiares do prefeito "para atender interesses particulares".
Na segunda denúncia, o MP afirma que Fabiano Teixeira teria desviado R$ 100.100,00 para o pagamento de dois empréstimos pessoais. Os pagamentos também teriam sido feitos por meio de cheques da prefeitura de Serrinha.
Segundo o Ministério Público, neste caso o prefeito também "fabricou integralmente procedimentos licitatórios de pagamento" para tentar escapar do órgãos de controle. O prefeito também é acusado de desviar R$ 78.480,00 em favor de um ex-secretário municipal, pelo pagamento de valores além da remuneração prevista em lei para o cargo.

Não sabia de corrupção no PT, era um vice decorativo, diz Temer


O presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (21) que não sabia nada sobre "a corrupção no PT" na época em que era vice-presidente porque não tinha participação no governo, era apenas um "vice decorativo".
Em entrevista coletiva em Nova York, Temer foi questionado sobre se, quando era vice-presidente de Dilma Rousseff, sabia "de toda a corrupção do PT".
"Não sabia. Vocês sabem que eu não tive participação no governo. Um dia eu mesmo me rotulei de vice-presidente decorativo porque eu não tinha participação. Não acompanhava nada disso", respondeu.
Temer se referia a uma carta que ele enviou à então presidente Dilma no final do ano passado. No texto, que foi um dos primeiros sinais de ruptura com o PT, ele dizia que passou "os quatro primeiros anos de governo como vice decorativo".
Apesar das declarações do peemedebista, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda vai julgar uma ação que pede a cassação da chapa de Dilma-Temer, eleita na disputa presidencial de 2014.
Na ação, o PSDB defende que Dilma e Temer cometeram abuso de poder político e econômico e teriam tido a campanha à reeleição abastecida com recursos desviados da Petrobras.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/

sábado, 17 de setembro de 2016

A partir de hoje, candidatos só podem ser presos em flagrante até as eleições


Imagem meramente ilustrativa
Medida visa impedir que autoridades policiais ou judiciais comentam abusos e interfiram nas disputas pelo voto.
A partir de hoje (17), nenhum candidato às eleições municipais marcadas para 2 de outubro pode ser detido ou preso, a não ser que seja pego em flagrante cometendo crime. A medida de proteção é garantida pelo Código Eleitoral e serve para que autoridades policiais ou judiciais não possam cometer eventuais abusos na tentativa de interferir nas disputas pelo voto.
Entre os casos que podem permitir a prisão em flagrante estão incluídos os crimes eleitorais, como a compra de votos.
Mesmo se houver prisão ou detenção em flagrante, o candidato deve ser levado imediatamente a um juiz, para que o magistrado avalie no mesmo momento a legalidade do ato.
Apesar da proteção, não é incomum que candidatos sejam presos mesmo durante este período especial de proteção, que começa a vigorar 15 dias antes de as urnas serem abertas.
Nas eleições de 2014, por exemplo, 80 candidatos foram presos somente no domingo de votação, a maior parte pela prática de boca de urna ou transporte irregular de eleitores até a seção eleitoral.

Se condenado, pena mínima de Lula deve chegar a 35 anos de prisão


Ex-presidente tem sete acusações de corrupção passiva e 64 de lavagem de dinheiro. Ele ainda teria de devolver R$ 87,6 milhões à Petrobras, por danos
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-presidente da empreiteira OAS Léo Pinheiro estão sujeitos a penas de mais de 30 anos de cadeia caso o juiz da Operação Lava-Jato no Paraná, Sérgio Moro, atenda exatamente a todos os pedidos de condenação feitos pelo Ministério Público no caso do triplex. Levantamento do Correio, com base na denúncia, na legislação e na experiência de juízes, procuradores e professores de direito penal consultados, aponta que os dois serão os mais afetados por uma eventual condenação do magistrado.
Para Lula, a pena mínima seria de 35 anos e 4 meses de cadeia, mais multa, além de pagamento de R$ 87,6 milhões por danos causados, valores destinados à Petrobras. Ele foi acusado de sete atos de corrupção passiva qualificada e majorada e 64 de lavagem de dinheiro. Em caso de condenação às penas máximas, o que é raro, segundo fontes ouvidas pelo jornal, a punição subiria para até 125 anos, 9 meses e 10 dias.
Para o empreiteiro e ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, a pena mínima seria de 40 anos e 8 meses de cadeia, mais multa e pagamento de ressarcimento de danos de R$ 58 milhões à Petrobras — montante que deveria quitar conjuntamente com o ex-diretor da construtora Agenor Franklin de Medeiros. Léo foi denunciado por nove atos de corrupção ativa e 64 de lavagem de dinheiro. Se for punido no grau máximo da lei, as penas subiriam para 221 anos, 9 meses e 10 dias de cadeia. A esposa do ex-presidente, Marisa Letícia Lula da Silva, está sujeita a penas de 12 a 50 anos de prisão. O amigo e presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, de 4 a 27 anos. A denúncia atinge mais três funcionários da OAS: Paulo Gordilho, Fábio Yonamine e Roberto Moreira.
O juiz Sérgio Moro deve receber ou rejeitar a denúncia na semana que vem, depois serão marcados depoimentos de testemunhas e réus. A seguir, a acusação e a defesa escrevem as alegações finais. O magistrado dará sua sentença, absolvendo ou condenando os réus. No segundo caso, ele deve considerar uma série de fatores, explica coordenador do curso de direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) no Rio de Janeiro, Thiago Bottino.
Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/

Governo vê indícios de irregularidade em mais de 80% dos auxílios-doença


Pagamento do benefício, que tem valor médio de R$ 1.193,73 por pessoa, chegou ao total de R$ 23 bilhões em 2015.

Mais de 80% dos benefícios de auxílio-doença previdenciário e auxílio-doença acidentário concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em maio de 2015, nas áreas rural e urbana do país, apresentam indícios de pagamento indevido.
O levantamento foi feito pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e constatou que, de 1,6 milhão de pessoas beneficiadas, 721 mil tinham o benefício mantido por mais de dois anos; 2,6 mil foram diagnosticados com doenças que não geram incapacidade; e que a situação de 77 mil segurados, por lei, previa o retorno ao serviço em menos de 15 dias.
Além disso, cerca de 500 mil benefícios não passaram por revisão há mais dois anos ou foram concedidos sem perícia. Esses últimos casos, segundo a CGU, podem ser explicados pela demora no serviço de perícia. De acordo com o levantamento, o segurado espera, em média, 24 dias para o atendimento médico pericial, enquanto o ideal seriam cinco dias.
"O elevado tempo de espera para realização da perícia médica, além de comprometer a qualidade no atendimento aos segurados, tem resultado em decisões do Judiciário, em ações civis públicas ajuizadas pelo Ministério Público determinando a concessão provisória do benefício sem a necessidade de atestar a incapacidade”,  destaca o levantamento.

O valor total pago em auxílios-doença em maio de 2015 foi de R$ 1,8 bilhão. Segundo a CGU, se o cenário fosse mantido sem o diagnóstico e correção destas falhas, o prejuízo do INSS poderia chegar a R$ 6,9 bilhões em um ano.
Revisão
O pagamento do auxílio-doença, que tem valor médio de R$ 1.193,73 por pessoa, chegou ao total de R$ 23 bilhões no ano passado. Com as fiscalizações realizadas em 2015 em 57 da 104 Gerências Executivas do Instituto onde são realizadas as perícias, o comando do INSS deu início a revisões que levaram a interrupção de 53 mil benefícios - 46 mil de auxílio-doença e 7 mil de aposentadoria por invalidez - que estavam sendo pagos indevidamente. O resultado foi uma economia de R$ 916 milhões, segundo  CGU.
A meta do INSS é convocar 530 mil beneficiários do auxílio-doença e 1,1 milhão de aposentados por invalidez com idade inferior a 60 anos para reavaliar os pagamentos. Segundo o instituto, a revisão de todos os benefícios pode levar à suspensão de 15% a 20% dos pagamentos, gerando economia de R$ 126 milhões por mês.
Beneficiários mortos
O estudo também considerou números do Sistema de Controle de Óbitos e o Sistema de Informações sobre Mortalidade, mantidos pelos ministérios da Previdência e da Saúde, respectivamente, e identificou 54 benefícios que continuam sendo pagos mensalmente pelo INSS mesmo após o registro do óbito do beneficiário nos sistemas, em dezembro de 2014. “Esses casos representam um gasto mensal de R$ 59 mil e anual de R$ 769 mil”, destacou o texto.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Candidato Caô Caô (BEZERRA DA SILVA) Serve perfeitamente para Canguaretama e outros municípios

Imagem ilustrativa

Candidato Caô Caô

Ele subiu o morro sem gravata, 
dizendo que gostava da raça, 

foi lá na tendinha bebeu cachaça, 
até bagulho fumou, 
entrou no meu barracão 
E lá usou lata de goiabada como prato, 
eu logo percebi é mais um candidato 
para a próxima eleição  
Ele fez questão de beber água da chuva, 
foi lá no terreiro pedir ajuda, 
bateu cabeça no gongá, 
mas ele não se deu bem 
porque o guia que estava incorporado
disse esse político é safado 
cuidado na hora de votar, 
também disse, meu irmão 
se liga no que eu vou lhe dizer, 
hoje ele pede seu voto,
amanha manda os homens lhe bater.
podes crer
Ele subiu o morro sem gravata, 
dizendo que gostava da raça, 
foi lá na tendinha bebeu cachaça, 
até bagulho fumou, 
entrou no meu barracão 
E lá usou lata de goiabada como prato, 

eu logo percebi é mais um candidato 
para a próxima eleição

LOBO EM PELE DE CORDEIRO


Sabe aquele vereador que passou 4 anos sem fazer nada e hoje está na sua porta pedindo seu voto prometendo o céu e a terra? Ele não passa de um mentiroso e um lobo em pele de cordeiro.
Sabe aquele vereador que negou o reajuste do piso dos professores e agora se diz a favor da educação? Ele também é um lobo em pele de cordeiro.
Sabe aquele vereador que foi contra o reajuste do PMAQ dos Agentes de Saúde e que hoje defende uma saúde de qualidade? Ele é só mais um lobo em pele de cordeiro.
Sabe aquele vereador que "nunca" fez nenhum projeto para ajudar a população mais carente do município e hoje tem solução para tudo? Esse sim, é apenas mais um lobo em pele de cordeiro.
VOTO NAO TEM PREÇO, TEM CONSEQUÊNCIAS!

Postagens antigas