ATÉ QUE EM FIM CHEGOU O FIM DE ANO

ATÉ QUE EM FIM CHEGOU O FIM DE ANO

sábado, 26 de julho de 2014

PREPARE O BOLSO PARA ALCANÇAR A SALVAÇÃO NO TEMPLO DE SALOMÃO.

Fiel a pé não terá acesso a templo da Universal
Após quatro anos de obras que custaram R$ 680 milhões, o Templo de Salomão, construído no bairro do Brás, região central de São Paulo, pela Igreja Universal do Reino de Deus, vai ser inaugurado no dia 31 somente para convidados e autoridades.
O espaço de 100 mil metros quadrados também não tem data para ser aberto aos fiéis - quem quiser assistir aos cultos terá de pagar a passagem para a empresa de fretamento contratada pela Universal, ao valor de R$ 45 por pessoa, para quem mora na capital.
Nesta quinta-feira, 24, a cúpula da igreja promoveu uma entrevista coletiva em Santo Amaro, na zona sul, para explicar detalhes sobre o templo, o maior espaço religioso do País, quatro vezes maior do que o Santuário Nacional de Aparecida.
O local acomodará um público de 10 mil pessoas, sentadas. O ambiente é suntuoso, com mármore rosa italiano, 10 mil lâmpadas de LED e oliveiras importadas de Israel.
Autoridades
Para a inauguração do dia 31, autoridades como a presidente Dilma Rousseff, o seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad são aguardadas para o evento.
"Teremos centenas de autoridades. Não temos um balanço dos nomes, mas a Dilma já se antecipou e declarou publicamente que estará presente", disse Renato Parente, jornalista que apresentou os detalhes do templo.
Parente disse que nenhuma pessoa poderá entrar no templo por conta própria. Quem quiser, vai precisar contratar o serviço de fretamento feito por ônibus.
Para pessoas de outras cidades e Estados o valor da passagem ainda não foi estimado pela mesma empresa de ônibus, cujo nome não foi revelado.
"É um preço que será cobrado pela empresa de fretamento, não é da igreja. Não é um ônibus de linha normal, é turístico", disse Parente.
O templo também vai ter um telão com 20 metros de comprimento (maior do que os telões dos estádios da Copa do Mundo) e 60 apartamentos para pastores convidados, além da residência oficial do pastor Edir Macedo, fundador da Universal.
A igreja também divulgou regras para o uso de roupas. Mulheres devem evitar o uso de minissaias e roupas curtas.
Para os homens, está vetado o uso de bermudas e de uniformes de clubes esportivos. Chinelos, camiseta regata, boné e óculos escuros também foram proibidos.

Contrapartidas
A autorização para o funcionamento do local foi emitida pela Prefeitura no dia 10, por meio da certidão de diretrizes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), documento que atesta que o empreendedor cumpriu as contrapartidas pelo fato de ser um polo gerador de tráfego.
Entre as obras que a igreja teve de realizar, estão a instalação de cinco semáforos em cruzamentos e o plantio de 25 mudas de árvores.
Outra contrapartida foi o rebaixamento de guias de cinco cruzamentos. O certificado de conclusão de obra ainda deverá ser solicitado. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".
Fonte: www.uol.com.br

E OS JUROS VÃO BAIXAR? CLARO QUE NÃO!


Bancos terão até R$ 45 bi a mais para empréstimos
Brasília (ABr e AE) - O Banco Central (BC) anunciou ontem medidas para melhorar a distribuição de liquidez (recursos disponíveis) na economia. Foram alteradas normas de recolhimentos compulsórios – dinheiro que os bancos são obrigados a deixar depositados no BC, sobre recursos a prazo e à vista – com impacto estimado em R$ 30 bilhões. 
O chefe do Departamento de Normas do BC, Sergio Odilon dos Anjos, disse que os bancos terão até R$ 45 bilhões a mais em caixa disponível para empréstimos com as medidas. Isso porque, além dos R$ 30 bilhões de liberação de compulsórios, o BC projeta que o impacto potencial das medidas, ao longo do tempo, pode chegar a R$ 15 bilhões.
“Não pensamos na medida de hoje para amanhã. Temos de aguardar o comportamento da demanda para saber em quanto tempo esses R$ 15 bilhões se transformariam em crédito”, explicou. 

Medidas
Segundo o BC, para adotar as medidas foi considerada a evolução dos recolhimentos compulsórios nos últimos anos, que passou de R$ 194 bilhões ao final de 2009 para cerca de R$ 405 bilhões atualmente. O BC também cita a recente moderação na concessão do crédito, a inadimplência em patamares relativamente baixos e o recuo do nível de risco no sistema financeiro nacional.
Uma das medidas permite que até 50% do recolhimento compulsório referente a depósito a prazo sejam cumpridos com operações de crédito. Assim, pelo prazo de um ano, 50% dos valores recolhidos poderão ser usados pelos bancos na contratação de novas operações de crédito e na compra de carteiras diversificadas (pessoas jurídicas e físicas) de outras instituições.

O BC ampliou o rol de instituições financeiras elegíveis – de 58 para 134 – à condição de cedentes (vendedoras) das operações para fins de dedução do recolhimento. Instituições financeiras cujo Patrimônio de Referência Nível 1, na posição de dezembro de 2013, seja inferior a R$ 3,5 bilhões serão elegíveis, sem restrições.
A outra medida teve o objetivo de ampliar o número de bancos que poderão usar parte (até 20%) de seus recolhimentos compulsórios sobre depósitos à vista para empréstimos e financiamentos que sejam enquadráveis no Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Para isso, o BC reduziu de R$ 6 bilhões para R$ 3 bilhões o valor do Patrimônio de Referência Nível 1 das instituições.
Além disso, a autoridade monetária retirou medidas macroprudenciais, implementadas a partir de 2010, alterando critérios relativos ao requerimento mínimo de capital para risco de crédito das operações de varejo.


Fonte: Tribuna do Norte

quarta-feira, 23 de julho de 2014

SEGURA ESSA DILMA,

Inflação é maior preocupação para campanha de Dilma, diz Temer
O vice-presidente Michel Temer (PMDB) considera a inflação a maior preocupação da campanha para reeleger a presidente Dilma Rousseff, apesar de repetidas declarações da equipe econômica e da própria presidente de que os preços estão sob controle.
No front político, Temer não acredita que a divisão de seu partido tenha força suficiente para causar danos eleitorais nem a Dilma nem a ele.
"O que vai acontecer agora, é que não se deixe ultrapassar o teto (da meta de inflação). Estamos já em agosto e temos que segurar um pouco, (usar) políticas econômicas que impeçam a inflação", disse Temer em entrevista à Reuters nesta quarta-feira.
"Porque quando vem a inflação há um fato muito negativo para o governo", argumentou o vice, que compõe novamente a chapa com Dilma. Temer, no entanto, não deu detalhes de que medidas o governo poderia adotar daqui até a eleição em outubro.
A inflação alta e o baixo crescimento econômico também foram as principais preocupações discutidas com os partidos da aliança de Dilma numa reunião no Palácio da Alvorada, na terça-feira.
"No ano passado, se vocês se recordam bem, em agosto e julho, eu mesmo achei como vice-presidente que a inflação iria desandar, que voltaria a 15 ou 18 por cento, porque era tal o noticiário, tal a aflição em relação à inflação que eu mesmo fui influenciado por isso. Curiosamente, quando chegou no fim do ano não ultrapassou o teto", disse.
O IPCA, índice que baliza a meta do governo, ficou no incômodo patamar de 6 por cento ao ano em todo o governo Dilma e ameaça romper em 2014 o teto da meta, que é de 4,5 por cento com margem de dois pontos para mais ou para menos.
Desde o começo do ano, o governo federal tem tentado represar os preços administrados, evitando o reajuste dos combustíveis ou o repasse de prejuízos do setor elétrico para as tarifas dos consumidores.
Além disso, para conter a inflação, o Banco Central tirou a taxa básica de juro Selic da mínima histórica de 7,25 por cento em abril do ano passado e a elevou até 11 por cento em abril deste ano, quando interrompeu o ciclo de aperto monetário.
Apesar de reconhecer que a inflação será explorada pela oposição durante a campanha, Temer avalia que o efeito sobre os eleitores pode ser limitado.
"Nós não temos desemprego e a renda ainda está em alta. Não temos queixa do que eu chamo de economia do cotidiano. Na economia do cotidiano, o povo está satisfeito porque de qualquer maneira o emprego ainda subsiste e a pessoa melhorou seu padrão de vida", disse o vice-presidente.
A geração de emprego, no entanto, tem se mostrado cada vez mais fraca nos últimos meses e na indústria já há mais demissões do que contratações, além da alta dos preços que afeta o poder de compra mesmo com a renda subindo.
Esses aspectos, junto com o baixo crescimento da economia, têm sido alvo das principais críticas dos candidatos de oposição.
Temer admite que esse cenário, somado às críticas da oposição, cria um clima de pessimismo em relação à economia que pode afetar os eleitores e a campanha de reeleição.
"Nós temos adversários e eles pregam que está tudo errado", disse. "Quem lê, assiste os noticiários na TV, vê as redes socais fica naturalmente preocupado. Quem tem emprego pensa: 'Será que vou perder meu emprego?' Isto gera uma certa preocupação", afirmou.
Fonte: http://noticias.uol.com.br/

QUEM TE VIU? QUEM TE VÊ!

Pôquer, cantoria... Veja como Neymar está aproveitando seus últimos dias de férias no Brasil
Após a Copa do Mundo, Neymar está curtindo o período de férias antes do início da temporada europeia. Entre partidas de pôquer, jantares e companhia do filho, Davi Lucca, o craque está aproveitando os últimos dias no Brasil com a família e os amigos. O jogador do Barcelona volta para a Espanha no dia 5 de agosto.

Fonte: http://esportes.r7.com/

Pra quem tava morrendo, a recuperação foi rápida.
Besta de quem ficou chorando pela seleção.
Vivendo e aprendendo...

PROFESSORES BRASILEIROS ESTÃO ENTRE OS QUE MAIS TRABALHAM.

Penúrias do magistério brasileiro
Recente pesquisa realizada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE com membros do magistério da educação básica de países ricos, subdesenvolvidos e em desenvolvimento, entre eles o Brasil, revelou que as professoras e os professores brasileiros estão entre os que mais trabalham no mundo. O trabalho em sala de aula no Brasil gira em torno de 25 horas semanais contra 19 horas na média dos países entrevistados. Só o Chile encontra-se acima do Brasil com 27 horas de trabalho em sala.
Outros dados preocupantes: em média, no Brasil, 20% do tempo das aulas são dedicados para conter a “bagunça” dos estudantes, 13% para atividades administrativas, sem contar que nossos/as professores/as gastam 22% de tempo a mais com atividades extraclasses, 40% dão aulas em cinco ou mais turmas e 20% atuam em mais de uma escola, segundo o censo escolar de 2013.
As informações até agora disponibilizadas pela OCDE não dão conta das condições de trabalho “in loco” nem sobre os salários do magistério. Mas é muito provável que o Brasil se mantenha entre os últimos colocados nestes quesitos. Em termos salariais, por exemplo, estávamos na quarta pior posição no último ranking da OCDE.
A CNTE e seus sindicatos filiados atuam na denúncia das péssimas condições de trabalho dos educadores - professores, funcionários e especialistas - e em prol do direito à educação púbica, gratuita, democrática, laica e de qualidade socialmente referenciada para todos e todas.
Neste contexto de lutas, a lei do piso salarial nacional do magistério - que, necessariamente, precisa se vincular a uma estrutura de carreira atraente e digna - é condição essencial para melhorar as condições de vida e trabalho dos/as professores/as e demais profissionais escolares, que esperam a regulamentação do piso previsto no art. 206, VIII da Constituição Federal.
Outro alento para transpor a triste realidade dos educadores e dos estudantes, sobretudo das redes públicas, diz respeito às 20 metas e 254 estratégias do novo Plano Nacional de Educação, aprovado na forma da Lei 13.005. Entre os compromissos do PNE estão: a garantia do acesso universal à escola de crianças e jovens de 4 a 17 anos, além da ampliação de creches e do fim do analfabetismo da população adulta, a ampliação das vagas públicas nos cursos técnico-profissionais e no ensino superior, a equiparação da remuneração média do magistério da educação básica à de outros profissionais com mesmo nível de escolaridade e a ampliação do financiamento educacional para 10% do PIB, tendo como referência o Custo Aluno Qualidade.
Por outro lado, a pesquisa da OCDE ajuda a desmascarar parte dos gestores públicos e de articulistas da grande imprensa, que tentam culpar os professores e as professoras do Brasil pelo insucesso escolar de milhares de crianças e jovens que ainda não contam com a devida atenção do Estado para terem seu direito à educação respeitado. Trata-se de gente que, além de pisar longe do chão da escola pública, tenta confundir a opinião pública com o objetivo de beneficiar grupos privados na disputa dos recursos públicos e dos currículos e modelos de gestão que priorizem os interesses do mercado.
Para essas pessoas, em especial, recomendamos a leitura da pesquisa da OCDE.

Fonte: http://www.cnte.org.br/

MORRE ARIANO SUASSUNA

Momento único em Canguaretama - 09/02/2011
Ariano Suassuna morre aos 87 anos em Recife
O escritor Ariano Suassuna morreu no fim da tarde desta quarta-feira (23) em Recife. Em estava em coma após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e passar por uma cirurgia de emergência. De acordo com o Diário de Pernambuco, o protocolo para confirmar a morte cerebral de Ariano foi aberto durante a manhã e a morte foi confirmada pela equipe médica às 17h40.
Suassuna passou mal em casa, na noite de segunda-feira (21), e foi levado ao hospital por volta das 20h, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico. Às 23h, terminou a cirurgia de emergência para a colocação de dois drenos, com o objetivo de controlar a pressão intracraniana provocada pelo AVC. Desde então, o escritor estava internado na UTI Neurológica, sem previsão de alta.

No ano passado, o escritor sofreu um infarto, e dois dias depois de receber alta, deu entrada novamente no hospital por causa de um aneurisma cerebral.
Na última sexta-feira (18), Ariano Suassuna participou de uma aula-espetáculo, no Festival de Inverno de Garanhuns, no agreste pernambucano. Ele estava confirmado para participar de uma mesa sobre o romance no contexto contemporâneo na 5ª edição do Festival Literário da Pipa (Flipipa) que acontece entre 7 e 9 de agosto.

Vida
Ariano Vilar Suassuna nasceu em 16 de junho de 1927 na cidade de Nossa Senhora das Neves, atual João Pessoa, e se tornou imortal da Academia Brasileira de Letras em 1990. O escritor chegou a exercer a profissão de advogado durante alguns anos, antes de render à paixão por escrever e retratar o Sertão e o Nordeste brasileiro.
A influência parterna teve papel fundamental na formação de Ariano Suassuna. O próprio escritor afirmava que fora através da biblioteca de João Suassuna que tomou o gosto pela leitura, com acesso às obras de Júlio Ribeiro, Eça de Queiroz, Aluízio Azevedo, Machado de Assis e, além deles, Leonardo Mota, a quem se referia como "o Câmara Cascudo do Ceará". Um dos maiores sucessos de Ariano Suassuna, O Auto da Compadecida, foi escrito com base em três folhetos de cordel de Mota. Sua primeira peça, no entanto, foi “Uma Mulher Vestida de Sol”, escrita em 1947, quando cursava Direito em Pernambuco.

Suassuna se formou em 1950 e chegou a exercer a profissão de advogado durante seis anos, tempo onde também escreveu peças como Torturas de um Coração (1951), o Castigo da Soberba (1953), O Rico Avarento (1954) e o Auto da Compadecida (1955), peça que o projetou em todo o país.
Em 1959, em companhia de Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro Popular do Nordeste, que montou em seguida a “Farsa da Boa Preguiça” e “A Caseira e a Catarina”. Porém, no início dos anos 60, interrompeu a carreira de dramaturgo para se dedicar às aulas de Estética na Universidade Federal de Pernambuco, onde era professor desde 1956. Aos poucos, voltou a conciliar os trabalhos e permaneceu na UFPE até até 1994, quando se aposentou.
Entre as principais obras da carreira de Ariano Suassuna estão “O Santo e a Porca”, “O Auto da Compadecida”, “O Castigo da Soberba”, “Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta" e "História d’O Rei Degolado nas Caatingas do Sertão / Ao Sol da Onça Caetana".

Ligação com o RN
Ariano Suassuna tinha uma forte ligação com o Rio Grande do Norte. Admirador da obra de Câmara Cascudo e dos versos de Fabião das Queimadas, o dramaturgo já conhecia o Rio Grande do Norte desde a infância. O avô paterno, Alexandrino Suassuna, era natural de Martins, no Alto Oeste potiguar, e a mãe tinha parentes em Carnaúba dos Dantas. 

No Rio Grande do Norte, Ariano Suassuna recebeu da UFRN o título de Doutor Honoris Causa em 2000, além dos títulos de Cidadão Norte-Riograndense (2008) na Assembleia Legislativa e Cidadão Natalense (2007), na Câmara Municipal do Natal. Ao receber dos vereadores, inclusive, falou sobre o carinho que tem por Natal.
"Foi em Natal onde avistei pela primeira vez o zeppelin. Natal para mim é como Recife. Recife é a porta azul e verde do mar e castanha e vermelha do sertão. Este título é a oficialização do carinho com que sou tratado quando venho a esta cidade", afirmou, em 2007.
Ao receber o título em Natal, Ariano Suassuna lembrou, emocionado, da amizade com o escritor potiguar Oswaldo Lamartine, morto poucos meses antes de Suassuna receber o título na Câmara Municipal. “Quando fomos perseguidos, fui abrigado pelas famílias do governador Juvenal Lamartine e do desembargador Silvino Bezerra. Quero concluir agradecendo o titulo de cidadão natalense na pessoa de alguém que sei que está aqui: Oswaldo Lamartine", disse.

Fonte: Tribuna do Norte

terça-feira, 15 de julho de 2014

O VERDADEIRO LEGADO DA COPA.




Juros para crédito a pessoa física e jurídica aumentam em junho, aponta Anefac
As taxas de juros das operações de crédito registraram nova alta em junho, aponta levantamento divulgado hoje (15) pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Trata-se da décima terceira elevação seguida. A taxa média geral para pessoa física avançou 0,05 ponto percentual, em relação a maio (5,98%), e ficou em 6,03% no último mês. Para pessoa jurídica, houve alta de 0,03 ponto percentual, passando de 3,41% para 3,44% em junho. Essa é a maior taxa média de juros para empresas desde julho de 2012.
Das seis linhas de crédito para pessoa física, apenas o financiamento para automóveis teve redução. A taxa passou de 1,8% para 1,78%. O juro do cartão de crédito foi o que apresentou maior alta, passando de 10,52% para 10,7%, alta de 0,18 ponto percentual. O cheque especial (de 8,22% para 8,28%) e o empréstimo pessoal por meio de financeiras (de 7,29% para 7,35%) tiveram suas taxas elevadas em 0,06 ponto percentual. Em seguida, estão os juros do empréstimo pessoal com bancos (de 3,41% para 3,45%) e do comércio (de 4,62% para 4,64%).
Para as pessoas jurídicas, das três linhas pesquisadas, uma teve redução. A taxa média de juros de capital de giro caiu 0,02 ponto percentual, passando de 1,84% para 1,82%. Esse é o menor resultado desde abril de 2013. As operações de crédito com desconto de duplicatas (2,52%) e conta garantida (5,98%), por sua vez, apresentaram queda nas taxas de 0,04 e 0,06 ponto percentual, respectivamente.
Na comparação com a taxa básica de juros, a Selic, desde março do ano passado houve elevação de 3,75 pontos percentuais. Nesse período, os juros médios para pessoa física subiram 13,93 pontos percentuais, de 87,97% ao ano, em março de 2013, para 101,9% ao ano, no mês passado. As empresas tiveram melhor condição, com elevação de 6,48 pontos percentuais, de 43,58%, ao ano, para 50,06%.
A Anefac avalia que os resultados refletem as elevações do “aumento da inadimplência bem como o cenário econômico nacional com expectativa de piora nos índices de inflação e de crescimento econômico”. A entidade avalia que a tendência é que, a curto prazo, a Selic se mantenha inalterada, o que deve fazer com que as taxas de juros das operações de crédito mantenham-se estáveis.
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br

SÓ FAZ DE CONTAS




Uso da internet nas escolas públicas cresce, mas conexão ainda é lenta
O percentual de professores de escolas públicas que utilizaram a internet durante as aulas em 2013 foi 46%. O número representa crescimento de dez pontos percentuais em relação a 2012 e foi divulgado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, na pesquisa Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação.
O levantamento, feito com 994 escolas públicas e privadas de todo o país, revelou também que a velocidade de conexão com a internet é menor nas instituições públicas do que nas particulares. Os dados revelam que 43% das escolas particulares dispõem de internet com velocidade entre 5 e 10 mega. Por outro lado, entre as instituições públicas, 52% contam com conexão a internet de até 2 mega.
Entre os recursos educacionais mais usados pelos professores, estão imagens, figuras, ilustrações ou fotos (84%), textos (83%), questões de prova (73%), vídeos (74%), jogos (42%), apresentações prontas (41%), e programas e softwares educacionais (39%).
A coleta de dados desta quarta edição da pesquisa ocorreu entre setembro e dezembro do ano passado. Foram entrevistados 939 diretores de escolas, 870 coordenadores pedagógicos, 1.987 professores e 9.657 alunos.
De acordo com as informações, a sala de aula cresceu como local de uso do computador e da internet, o ambiente mais comum para o uso de computador ainda é a casa do estudante. Apenas 7% dos alunos da rede pública e 2% dos estudantes de escolas particulares disseram que acessam a internet, mais frequentemente, em suas escolas. A maioria usa a rede mundial de computadores com mais frequência em casa: 68% dos alunos de escola pública e 93% dos matriculados em escolas particulares.
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br